Suspeição de Moro no caso Lula cria imbróglio que pode paralisar o país

Vaza Jato pode até dar em nada, com o caso sendo varrido para debaixo do tapete; mas pode dar em tudo e até em novas eleições presidenciais

Apesar do esforço da grande mídia para atenuar o escândalo, as conversas de Sérgio Moro orientando a acusação contra Lula na Lava Jato criam um imbróglio de tais proporções que ameaça paralisar o Brasil. O terremoto atinge com força o judiciário ao questionar a isenção do juiz-símbolo do combate à corrupção e nome mais admirado do poder. Reverbera no Congresso onde há inúmeros políticos investigados. E o mais grave de tudo: lança dúvidas sobre a legitimidade das eleições no país.

Não é de hoje que parlamentares tentam investigar a força-tarefa que os investiga. Na Câmara existe um pedido para criação da CPI da Lava Jato protocolado pelo líder do PT, Paulo Pimenta. No Senado, o senador Ângelo Coronel (PSD) começou hoje coleta de assinaturas com o mesmo objetivo. Se novos vazamentos do Intercept reforçarem as suspeitas de parcialidade de Moro, será difícil conter a CPI. E isso pode desencadear um processo de desfechos imponderáveis.  

Até aqui a Lava Jato sobreviveu a todos os ataques. Mas sua isenção nunca esteve em cheque como agora. O desgaste pode comprometer  as atividades da força-tarefa e criar um enorme imbróglio jurídico. Como se vai lidar com a suspeição das sentenças de Moro?

A defesa de Lula ganhou argumentos para pedir nulidade dos processos. Pelo princípio do Estado de Direito, o seu julgamento deveria ser revisto se o juiz ajudou a acusação. Mas, uma revisão do caso Lula poderia abrir precedentes para todos os réus contestarem as sentenças de Moro, justo o juiz que mais julgou e prendeu na força-tarefa. E aí, a Lava Jato vai quase toda para o lixo?

A situação é delicadíssima. Outras questões abertas: se Moro forçou a barra contra Lula para tirar o ex-presidente da corrida presidencial, como fica a eleição do adversário favorecido, Jair Bolsonaro? Ela continua sendo legítima diante de evidências de manipulação da campanha eleitoral?

O Brasil acaba de mergulhar numa zona cinzenta e imprevisível. O Vaza jato pode até dar em nada, com a cúpula do judiciário varrendo as transgressões éticas de Moro para debaixo do tapete. Mas, também pode dar em tudo. Pode gerar nova onda de crise política, tumultuando votações no Congresso, inclusive da reforma da previdência, e contribuindo para travar ainda mais a economia. No limite, o Vaza jato pode até mesmo desembocar lá na frente em novas eleições presidenciais.

Criadora da rede Os Novos Inconfidentes, formou-se em jornalismo pela PUC-MG e trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de Minas, além de colaborar para várias publicações. Ex-colunista do jornal O Tempo e ex-comentarista da rádio Super Notícias FM. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO