Cheiro de pizza: ministra vê “manipulação de provas” no caso dos 80 tiros

Os nove militares acusados pela morte de músico e de catador já estão em liberdade desde quinta-feira (23/5)

A ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, única no STM (Superior Tribunal Militar) a ir contra a soltura dos nove militares acusados na morte do músico Evaldo Rosa e do catador de recicláveis Luciano Macedo, no Rio, apontou em seu voto “uma tentativa visível de manipulação de provas”. O caso ficou famoso pela quantidade de disparos contra o carro em que o músico se dirigia com a família a um chá de bebê: 80 tiros.

Segundo matéria de Fausto Macedo no Estadão, a ministra afirmou durante a sessão de julgamento na última quinta-feira (23/05) que,  no auto de prisão em flagrante, os militares apresentaram fotos de veículos alvejados como se fossem os blindados que eles ocupavam no momento da morte do músico. Os envolvidos foram soltos para aguardar em liberdade o julgamento.  

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO