Manifestação antirreforma ganha força com metroviário

Será a terceira manifestação em menos de seis meses do governo Bolsonaro, e a mais importante

A greve geral convocada para esta sexta-feira (14/06) terá adesão dos metroviários, categoria que não aderiu nos últimos protestos. A manifestação ocorrerá em todo o país. Em Belo Horizonte, assim como em outras cidades, estão previstas manifestações de rua, que ocorrerão a partir das 9 horas no centro da cidade. A greve protesta contra os cortes anunciados na educação e a reforma da previdência.

A entrada dos metroviários significa que a força do movimento vem crescendo, isso porque essa categoria responde por uma boa parcela do transporte da cidade. Não tem a mesma força do que a paralisação  dos rodoviários, mas já é algo significativo. 

No caso de Minas, as categorias de servidores que irá às ruas na sexta protestarão também contra o Regime de Recuperação Fiscal, projeto que ainda não chegou à Assembleia, mas já causa arrepios no segmento. Também vão aderir à greve geral os bancários, médicos, professores e petroleiros entre outros.

Será a terceira manifestação em menos de seis meses do governo Bolsonaro. E a mais importante, até agora, porque irá influenciar as decisões do Congresso sobre a reforma da previdência.

A Mosqueteira é a musa dos novos inconfidentes e guardiã de todas as inconfidências [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO