Vem aí mais um choque na economia mineira

Redução do PIB nacional refletirá em Minas; arrecadação deve diminuir e déficit subir

Quando o governador Romeu Zema retornar de mais uma políticatur nos Estados Unidos, uma dor de cabeça o aguarda. Mais uma. Conforme divulgado pela imprensa nesta terça-feira (14/05), a equipe econômica do governo federal revisará suas expectativas para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas pelo País. Zema, portanto, terá que rever também as projeções para o PIB mineiro, que acompanha o nacional. O PIB brasileiro está estimado em 2,056 trilhões. Já o mineiro é calculado, segundo a Fundação João Pinheiro, em 573 bilhões.

A consequência direta da revisão é a diminuição na arrecadação e um provável crescimento do déficit. Isso porque o orçamento de 2019 foi elaborado no ano passado diante de uma projeção de crescimento do PIB de 3% – que já baixou para algo entre 1,5% a 2%.

Para se ter uma noção da gravidade, levando em conta um crescimento de 3%, as receitas do Estado deveriam fechar este ano em quase R$ 99 bilhões. Já as despesas ficaram em aproximadamente R$ 111 bilhões. Ou seja, um rombo aproximado na casa dos R$ 11 bilhões. Se considerarmos que uma queda no PIB significa também menos impostos, as receitas poderão diminuir e o déficit aumentar.

Em relação às receitas, no caso do governo federal, ele já estima que a diminuição delas poderá ser de até 20 bilhões. No caso de Minas Gerais, o governo não possui nenhuma projeção do baque que a revisão do PIB nacional deverá causar. Mas, para termos ao menos uma ideia, está previsto no orçamento mineiro deste ano que o ICMS, principal imposto, cresça 6,6%, totalizando aos cofres públicos R$ 63,5 bilhões, número que poderá diminuir. Azeda ainda mais essa situação o fato de a indústria e o comércio estarem decaindo em Minas Gerais.

Marcelo Gomes é jornalista em formação pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH). Apaixonado por política, não vê outra possibilidade de mudança social a não ser por ela. Já trabalhou em rádio e escreve para portais e revistas. Tem experiência em processos legislativos e em questões econômicas. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO