Economia brasileira está desabando em câmera lenta. E você nem sente

Histórico das projeções do mercado para o BC mostra o país em descida suave ao fundo do poço

 

Acompanhar as edições do boletim Focus, o relatório de previsões que empresas do mercado financeiro enviam toda semana ao Banco Central, é como assistir ao desabamento da economia em câmera lenta. Mês após mês, os índices caem um pouquinho mais, descrevendo uma trajetória de declínio vagaroso mas persistente. O país está deslizando suavemente de volta à recessão, depois de esboçar fraca reação por dois anos.

Tudo cai no Brasil – exceto o dólar, obviamente, por refletir fatores externos em suas cotações. Nas previsões do Focus para o fim do ano, divulgadas nesta segunda-feira (01/07), a taxa de expansão do PIB caiu de 0,87% para 0,85%; a dos juros de 6,5% para 5,5% e a de inflação de 3,82% para 3,80%.

As variações podem ser mínimas de uma semana para outra; no caso do PIB, a última alteração foi imperceptível: menos 0,02%. O mercado sempre deixa para fazer os ajustes nos seus prognósticos após a divulgação de pesquisas do IBGE, e não houve nenhuma por esses dias. Então, é no acumulado ao longo de meses que as variações se fazem notáveis. Em relação ao boletim Focus de 17 de janeiro, ou seja, em seis meses, a projeção para expansão da economia já recuou 70%: passou de 2,6% para os atuais 0,82%.

A seguir na trajetória atual, a previsão do PIB não demora a entrar no terreno negativo. É questão de tempo, talvez de semanas, até o mercado sinalizar ou constatar a recessão a caminho no país. E essa expectativa de crescimento menor arrasta os juros e os preços, que caem no mesmo compasso.

O histórico dos boletins Focus não deixa dúvidas: há uma força puxando para baixo a economia brasileira. A incógnita que nenhum economista do mercado ou do governo consegue decifrar ainda é como mudar essa tendência, ou seja, como reverter o processo de lento retorno do país ao fundo do poço.

Criadora da rede Os Novos Inconfidentes, formou-se em jornalismo pela PUC-MG e trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de Minas, além de colaborar para várias publicações. Ex-colunista do jornal O Tempo e ex-comentarista da rádio Super Notícias FM. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO