Moro: de brasileiro mais admirado a juiz sob suspeição

Em 24 horas o mundo do ex-juiz ruiu; membros do STF dizem que revelações de site abrem margem para questionar sua atuação na Lava Jato

O “Wikileaks de Curitiba” caiu feito uma bomba em Brasília, hoje, 10/06, um dia depois da publicação pelo site Intercept, do dossiê explosivo contra a Lava Jato. Ninguém duvida de que o caso terá ampla repercussão internacional. Membros do Supremo dizem que o conteúdo das revelações é forte e abre margem para questionar a atuação de Sérgio Moro como juiz.

Ministros ouvidos pelo site ConJur dizem que as conversas mostram que Moro deixou de ser juiz para orientar uma das partes nos processos. Isso o torna suspeito para tomar decisões sobre os casos, nos termos do inciso IV do artigo 254 do Código de Processo Penal. Eles preferem não dizer quais efeitos a suspeição, descoberta agora, terá sobre as decisões tomadas por Moro à frente da Lava jato. Mas descartam o argumento de que as provas do Intercept são nulas, mesmo que obtidas por hackers, como sustenta o MPF do Paraná.  

Ele foi, até recentemente, o brasileiro mais confiável e admirado, que levou milhares às ruas bradando “Somos todos Sérgio Moro”. Em menos de 24 horas, o mundo do ex-juiz da Lava Jato e atual Ministro da Justiça virou de cabeça para baixo e ele enfrenta um tremendo inferno astral. As más notícias estão em todos os lados. O Congresso já levanta a possibilidade de uma CPI sobre o caso.  A OAB recomenda afastamento temporário de Moro e Dallagnol. Advogados do grupo Prerrogativas vão à OAB para que a entidade peça que a PGR determine o desmonte da Lava Jato e que o CNJ transforme a aposentadoria de Moro em demissão, inclusive com perda do direito a vencimentos da magistratura, noticiou o Painel da Folha de São Paulo

A má vontade do STF com Moro é patente. Ainda segundo a Folha, o ministro Paulo Guedes ouviu de um ministro da corte na semana passada uma frase emblemática. “Se o governo acabar amanhã, vocês já prestaram um grande serviço para o Brasil”, disse o ministro, explicando que se referia ao fato de Bolsonaro ter feito Moro largar a magistratura para atuar na política.

Ah, chance zero neste momento de Moro ir para o STF.

Editora do site Novos Inconfidentes, é formada em Comunicação Social pela UFMG, trabalhou na revista Isto É e no jornal O Tempo e colaborou como cronista e redatora em várias publicações. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO