Tudo sobre o “prêmio de loteria” que Moro está ganhando

Presidente confirmou o compromisso com seu ministro da justiça neste domingo

Foto: Lula Marques / AGPT

O presidente Bolsonaro confirmou neste domingo (12/05) o compromisso de indicar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, para o Supremo Tribunal Federal. “A primeira vaga que tiver lá está à sua disposição”, disse o presidente, em um programa da rádio Bandeirantes.

Recentemente, Moro declarou a um jornal português que ir para o STF seria como ganhar na loteria. Será? Vamos aos cálculos…

Se chegar ao STF em novembro do ano que vem, quando Celso de Mello se aposentar, o  ex-juiz da Lava jato, que terá então 47 anos, poderá trabalhar na suprema corte por 23 anos, ou seja, até os 70. Ou 28 anos, caso se valha da chamada PEC da bengala, que adiou a aposentadoria obrigatória para os 75 anos.

Com vencimentos corrigidos em janeiro para R$ 39,3 mil mensais, fora os penduricalhos, Moro terá recebido, ao final de sua carreira, cerca de R$ 13 milhões. Um bom prêmio de loteria, mas modesto, se comparado com o do felizardo que levou sozinho os 289 milhões da mega sena neste fim de semana.

Há outras vantagens, é claro, além dos subsídios. Ser ministro do STF é chegar ao topo do mundo, no ápice da carreira, com direito a mordomias e regalias espetaculares, como moradia, alimentação de primeiríssima linha, auxílio-funeral e de natalidade, viagens internacionais, além de muita gente para ajudar: segundo o senador goiano Jorge Kajuru, são 222 funcionários para cada membro da corte.

Editora do site Novos Inconfidentes, é formada em Comunicação Social pela UFMG, trabalhou na revista Isto É e no jornal O Tempo e colaborou como cronista e redatora em várias publicações. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO