Corrupção no Cruzeiro está sobrando para atleticanos, americanos …

Parte da dívida de R$ 500 milhões se refere a impostos e dívidas trabalhistas; dinheiro que, em vez de ser pago ao governo, acabou nos bolsos da diretoria

Primeiro Tempo. Este é o nome que a Polícia Civil colocou na operação que investiga o Cruzeiro Esporte Clube por suspeita de lavagem de dinheiro, uso de empresas de fachada e venda de direitos de um menor de idade, entre outros crimes. O tempo está fechando para o clube que deve R$ 500 milhões e, mesmo assim, vinha pagando salários altíssimos para seus diretores, como já registrou o site Os Novos Inconfidentes.

Os principais alvos das suspeitas são o presidente do clube, Wagner Pires de Sá e o vice-presidente de futebol, Itair Machado, que tiveram suas casas revistadas nesta terça (09/07) pela polícia, que cumpriu mandados de busca e apreensão também na sede do Barro Preto, na Toca da Raposa e na sede da Máfia Azul. O salário de Itair, a propósito, gira em torno de R$180 mil mensais.

E quem paga a conta dos supersalários e falcatruas da cúpula cruzeirense? Todos nós. O Cruzeiro é um time de futebol e, como tal, uma empresa privada. Mas deve R$ 500 milhões, valor que inclui impostos e encargos trabalhistas. Inclusive em Refis, aquele apoio que o Estado dá a quem quer pagar suas dívidas. Só que boa parte do dinheiro, em vez de ser pago ao governo, foi para os bolsos bem fornidos de sua diretoria. Ou seja, a picaretagem no Cruzeiro não deixa de ser um assalto indireto aos cofres públicos. E os lesados são, além dos cruzeirenses, os atleticanos, os americanos, os flamenguistas, os palmeirenses…

É tolo achar que a corrupção no futebol não afeta o bolso dos torcedores. Afeta tanto quanto a dos políticos e empreiteiros investigados na Lava Jato. O dinheiro é igual. E a fonte é a mesma.

Editora do site Novos Inconfidentes, é formada em Comunicação Social pela UFMG, trabalhou na revista Isto É e no jornal O Tempo e colaborou como cronista e redatora em várias publicações. [ Ver todas as publicações ]

Comentários

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir Para o TOPO